22º Congresso Internacional de Arte-Terapia

Partilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

22º Congresso Internacional de Arte-Terapia

A Arte Como Terapia Formativa:
Das escolas às empresas

Datas: 14 a 17 de outubro de 2021

Horários: Por favor, consulte aqui

Local: Online – Plataforma Zoom | Presencial – Fundação Calouste Gulbenkian

Destinatários: Todos os profissionais e público em geral interessados na Arte-Terapia/ Psicoterapia

Acreditação para docentes:
Em parceria com o Centro de Formação de Escolas António Sérgio: Acreditação pelo CCPFC para efeitos de progressão na carreira docente com 0,6 créditos, 15 horas, para educadores de infância, professores dos ensinos básico e secundário e docentes de educação especial.

Psicólogos escolares:
Acreditação para psicólogos escolares, junto da DGAE – Em parceria com o Centro de Formação de Escolas António Sérgio.

Exclusivo para docentes e psicólogos escolares que atuam profissionalmente em Portugal.

Ficha de Inscrição no Congresso: https://forms.gle/WkopENBwTve6KfJh9

Oradores: Por favor consulte aqui

Programa: Por favor consulte aqui

APRESENTAÇÃO

A Arte contem em si uma essência formativa, na medida em que propicia a possibilidade de aprender e apreender sobre o mundo através da criação a partir de si mesmo. Sendo a psicoterapia uma experiência corretiva, no sentido de Franz Alexander, adicionando-lhe um gradiente criativo, próprio ao fazer artístico, tal potencia a possibilidade de que o conhecimento desenvolvido da esfera da experiência de si mesmo tenha um efeito modulador sobre o indivíduo. Aplicando tal perspetiva a um contexto pedagógico, propicia-se que a aprendizagem criativa de si sobre si mesmo, possa ser colocada ao serviço do reforço da capacidade de aquisição de conhecimentos formais. Numa ótica de pedagogia curativa, tal como preconizado por João dos Santos, é precisamente isso que se pretende: facilitar que o ambiente de aprendizagem possa fomentar a (re)construção do aprendiz.

Tendo em conta o gradiente operacional da Arte-Terapia, onde a gnose estética ganha primazia enquanto aprendizado sobre a essência da existência, há todo um corpo de conhecimento e instrumentos de operacionalização que podem ser extrapolados para o contexto da formação, quer escolar quer empresarial. Num âmbito de aprendizagem mediada os recursos técnicos específicos à Arte-Terapia são adaptáveis à promoção quer do processo de aprendizagem, quer do desenvolvimento pessoal.

Nas escolas a introdução de um gradiente criativo na sala de aula favorece uma relação mais sólida e inspiradora com o professor, propiciando uma abordagem pedagógica de cariz terapêutico, na medida em que as necessidades dos alunos podem ser atendidas e colmatadas. Donald Winnicott referiu que o brincar, ou seja a experiência criativa, é afim do aprender. A aprendizagem pode pois ser incrementada através da implementação de instrumentos criativos mediadores.

Por sua vez nas empresas um espaço criativo com cariz artístico em contexto de formação ou de team building tem mostrado resultados muito favoráveis, quer a nível da valorização das competências pessoais, quer a nível da satisfação pessoal e interpessoal no ambiente empresarial. Tal tem necessariamente impacto positivo na produtividade da empresa, uma vez que possibilita que os seus funcionários ganhem mais pro-atividade criativa e reduzam os fatores de stress, causadores do burnout.

Áreas temáticas do Congresso

1 – Criatividade na promoção da aprendizagem

2 – Intervenções artísticas em contexto de formação

3 – Aprendizagem mediada e necessidades especiais

4 – A arte nas empresas como mediador relacional

5 – Liderança e team building criativos

6 – Arte-Terapia/ Psicoterapia enquanto contexto formativo