25º Congresso Português de Arte-Terapia

Partilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

25º Congresso Português de Arte-Terapia

Criação e Produção de PENSAMENTO

 
Estamos muito expetantes com a realização do 25º Congresso Português de Arte-Terapia nos dias 26 e 27 de outubro de 2024. 
 
Não perca mais este Congresso repleto de 
momentos únicos de comunhão e partilha desta paixão que nos une.

Saiba todos os pormenores:

Horários: 
Sábado 10:00 – 18:00
Domingo 10:00 – 18:00

Local: Fundação Calouste Gulbenkian, com possibilidade de transmissão online, via Zoom

Destinatários/as: Todos/as os/as profissionais e público em geral com interesse na Arte-Terapia/ Psicoterapia

Oradores/as: informação disponível em breve

Programa:  informação disponível em breve

Workshops do Congresso: informação disponível em breve

INSCRIÇÕES:  

Ficha de Inscrição https://forms.gle/kPfAQSysPfV91znm6

Por favor consulte o Preçário e outras informações para efetivação da Inscrição aqui

Criação e Produção de PENSAMENTO

Os Congressos Anuais de Arte-Terapia, organizados pela Sociedade Portuguesa de Arte-Terapia (SPAT) foram iniciados em 2000, inaugurando o início do século XXI. O primeiro Congresso com a designação / o título de “Genesis” impulsiona, com o enfoque na criatividade operacionalizada em contexto terapêutico, a sucessão de Congressos Anuais, focando uma miríade de temas.

Há que ressalvar que o primeiro Congresso da SPAT foi organizado por um pequeno grupo, mas dinâmico, de poucos formadores e formandos que constituíam o seu núcleo inicial. Esta motivação e empenho na causa comum foi mantida, como cultura de grupo, até hoje. Apesar do cariz organizacional diferenciado, pela experiência acumulada na implementação dos múltiplos Congressos e outros eventos desenvolvidos pela SPAT, ainda atualmente é graças ao comprometimento dos Membros da SPAT mais dedicados à causa, que continua a ser possível realizar estes Congressos. Na última década o apoio e patrocínio da Fundação Calouste Gulbenkian tem sido uma preciosidade, a que estamos muito gratos.

Ao longo dos anos os Congressos de Arte-Terapia, procuraram focar temas metafóricos e outros específicos, tendo em conta populações em particular, aspetos técnicos da aplicação da Arte-Terapia e Arte-Psicoterapia, a alteridade da prática, formulações conceptuais específicas, a investigação e a cientificidade inerente à técnica, entre outras. Pretendeu-se promover a partilha de experiências com profissionais de outras áreas da psicoterapia, com professores e com artistas. Desde sempre os Congressos da SPAT tiveram uma vocação artística, em particular com momentos criativos de Arte Performativa.

Nos últimos anos têm permitido a acumulação de créditos para professores, sendo validados para tal pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC).

A participação e partilha de ideias com profissionais da área da saúde mental e arte-terapeutas de múltiplos países mostrou-se muito útil para a própria evolução da Arte-Terapia em Portugal. Destacam-se os Encontros de Lisboa com a Sociedade Internacional de Psicopatologia da Expressão e Arte-Terapia (SIPE AT, sediada em Toulouse, França), com as participações inestimáveis do Dr. Guy Roux e o Professor Doutor Jean Luc Sudres (um ícone da investigação em Arte-Terapia na Europa).

Também são de ressalvar os Encontros Luso-Brasileiros de Arte-Terapia, com a participação de dezenas de eloquentes arte-terapeutas brasileiras. Há que ressalvar que no último congresso contámos com a presença da Dr.ª Regina Chiesa, Presidente da União Brasileira de Associações de Arte-Terapia.

Temos ainda a recordar que em 2009 foi organizado pela SPAT o Congresso do Jubileu dos 50 anos de existência da SIPE-AT. Nessa altura tivemos profissionais de renome ligados à Arte-Terapia, oriundos de mais de uma dezena de países, de quatro continentes, entre eles psiquiatras, psicólogos, artistas e outros.

Com o título do presente Congresso, “Criação e Produção de Pensamento”, pretende-se retomar o tema do primeiro congresso “Genesis”, enquanto oportunidade de fechar um ciclo e iniciar um novo.

A produção de pensamento conceptual sobre Arte-Terapia e Arte-Psicoterapia ao longo destes 25 anos foi uma constante. Para tal contribuíram a formulação de conceitos de fundamentação extraídos da evidência fenomenológica inerente às práticas. Com isso encorpou-se a Arte-Terapia e a Arte-Psicoterapia portuguesas de uma identidade própria, afirmada além de outros modelos terapêuticos, com formulações, compreensivas da operacionalidade, especificas.

O ato criativo contém em si a possibilidade de formulação de “ideia nova”. Esta é alcançada quando a perspetiva de mudança propicia a transmutação simbólica de significados. Tal envolve um complexo processo interno, psíquico, inerente à ativação do Aparelho Criativo. Através do fazer criativo, ao manejar-se uma realidade física impregnada de imaginário, torna-se possível modelar, paulatina e progressivamente, a realidade psíquica, com efeito de homeostase transmutativa.

Assim acede-se à “ideia nova” de si mesmo, com a possibilidade de abandono de padrões de pensamento disfuncionais.

Este é o conceito essencial que fundamenta a validade das práticas artísticas na promoção do progresso pessoal, tanto em contexto de Arte-Terapia ou Arte-Psicoterapia, como em ambiente pedagógico, para a promoção da aprendizagem.

No presente Congresso os arte-terapeutas e arte-psicoterapeutas da SPAT irão fazer a apresentação de ”Produção de Pensamento”, extraído das suas práticas criativas, em contextos diversos, dos pedagógicos à reabilitação, com populações várias, desde as crianças aos idosos e com problemáticas diversas.

 

ÁREAS TEMÁTICAS DO CONGRESSO

1 – Criatividade e Aparelho Criativo.

2 – Criação em contexto pedagógico.

3 – Criatividade e aprendizagem.

4 – O artista e a “ideia nova”.

5 – As funções terapêuticas e as potencialidades da Arte.

6 – Representações ideacionais organizadoras e criativas.

7 – A Psicodiagénesis e a esteticidade da relação.

8 – Logaritmos de intervenção em Arte-Terapia e em Arte-Psicoterapia.

9 – A criação enquanto sinalizador do funcionamento psíquico vigente na tipologia da criação e da psicopatologia.

 

Teremos muito gosto que partilhe connosco mais uma experiência criativa desenvolvida pela Sociedade Portuguesa de Arte-Terapia.