Advertência sobre as formações de Arte-Terapia

 

 

Ao pretender fazer uma formação em Arte-Terapia é preciso que tenha alguns cuidados para evitar a possibilidade de acabar por fazer um investimento que redunde em logro, num empreendimento que não lhe forneça a consistência necessária a uma prática diferenciada ou num certificado que confira uma creditação efetiva.

 

Para tal há que ter em conta alguns cuidados particulares, que se discriminam:

 

Verifique os antecedentes da formação

Um historial com muitos anos de experiência é essencial. Qualquer formação com menos de cinco anos de implementação será necessariamente pouco consistente e insuficientemente testada. A formação fornecida pela SPAT tem um historial de mais de 20 anos.

 

Esteja atento à certificação da instituição que pretende dar a formação

Uma instituição que não esteja certificada como entidade formadora não implementará critérios de qualidade na formação que lhe forneça consistência. Por outro lado, caso a instituição não tenha um historial consistente em termos de ligação à prática da Arte-Terapia, mesmo que seja uma universidade, fornecerá uma formação generalista e sem substrato fundamentado numa prática diferenciada.

 

A SPAT é uma entidade formadora certificada pela DGERT, e nessa medida oferece cursos de especialização  altamente desenvolvidos, sendo uma associação de cariz científico, cujos membros formadores têm uma experiência profissional e pedagógica muito diversificada em Arte-Terapia/Psicoterapia.

 

Investigue o currículo dos formadores

Poderá deparar-se com formações em que os formadores não tenham uma formação credível em Arte-Terapia, nem sequer estando certificados, que não tenham uma prática profissional em Arte-Terapia/Psicoterapia efetiva e desenvolvida através de anos de experiência ou que possuam pouca experiência formativa  em Arte-Terapia, entre muitas outras situações de dolo.

 

A SPAT assegura que os seus formadores são arte-terapeutas/psicoterapeutas devidamente creditados e certificados, através de uma formação longa, consistente e credível, incluindo seminários teórico-práticos, supervisão e Arte-Psicoterapia Didática, com uma experiência profissional muito alargada e competente, para além de uma longa experiência formativa, encorpadas por vários anos de prática.

 

Assegure-se da validade do modelo de Arte-Terapia

Existem várias orientações conceptuais na Arte-Terapia. O Modelo  Polimórfico de Arte-Terapia preconizado pela SPAT corresponde a uma perspectiva eclética, que não se confina a uma visão afunilada do aparelho psíquico, abrangente do ponto de vista da conceptualização, mas não vaga e difusa como certas designações que não apresentam consistência. Pior será quando certas formações pretensiosas nem sequer apresentam qualquer base conceptual coerente, até porque os formadores nem são arte-terapeutas, nem têm formação em Arte-Terapia.

 

A base conceptual do Modelo Polimórfico de Arte-Terapia, se referencia em múltiplas teorias do aparelho psíquico, em particular as que especificam a criatividade, tendo parâmetros metodológicos de atuação e fundamentos conceptuais, como os referentes à relação psicodiagenésica, ao aparelho criativo e a psicopatologia da expressão, que lhe são específicos, conferindo-lhe uma identidade particular.

 

Informe-se sobre a creditação fornecida

Existem formações de Arte-Terapia que não fornecem qualquer creditação para a prática. Tenha a maior atenção de questionar este aspeto.

 

A formação de Arte-Terapia (Nível I) da SPAT, sendo uma entidade formadora certificada pela DGERT, fornece-lhe competência profissionalizante. Quanto à formação de Arte-Psicoterapia (Nível II), é a única em Portugal. Para além disso, sendo a SPAT uma Sociedade Científica, organizada enquanto grupo profissional, permite-lhe um reconhecimento criterioso e credenciado, baseado em parâmetros de habilitação e desempenho elevados, conferindo reconhecimento e credibilidade aos seus membros.

 

Questione sobre as oportunidades profissionais

Muitas formações de Arte-Terapia nem sequer contemplam aplicações profissionais.

 

Na SPAT os/as formandos/as são admitidos/as tendo em conta se o seu perfil profissional os/as adequa a uma futura prática profissional de Arte-Terapia/Psicoterapia. Tendo em conta a intenção de alargar as possibilidades de intervenção a SPAT tem estabelecido múltiplos protocolos com organizações, serviços e instituições (desde Hospitais a IPSS). Para além disso a SPAT desenvolve um Programa Social de Arte-Terapia (PSAT) onde os formandos podem iniciar a sua prática.

 

Interrogue sobre a ligação a outras instituições que confiram validade

É necessário interrogar sobre a validação das formações na área das “Arte-Terapias” por outras organizações nacionais e estrangeiras. Há formações nesta área que não têm qualquer reconhecimento ou qualquer  consistência.

 

A nível internacional a SPAT é membro da Sociedade Internacional de Psicopatologia da Expressão e Arte-Terapia, sendo o Dr. Ruy de Carvalho o seu Vice-Presidente. Tem protocolo de coooperação com a UBAAT, União Brasileira de Associações de Arte-Terapia.

Quanto ao âmbito nacional é membro fundador da Federação Portuguesa de Psicoterapia – FEPPSI. A formação de Arte-Psicoterapia é reconhecida e acreditada pela Ordem dos Psicólogos Portuguesa.

 

3º Congresso Internacional de Arte-Terapia

A única formação de arte-terapeutas e arte-psicoterapeutas de Portugal

Veja as imagens das nossas atividades ;)